Um dia em Cascais. O que fazer?

A apenas 30/40 minutos de Lisboa, fica Cascais. Por isso à falta de planos, um dia em Cascais é sempre bem passado! Neste artigo, vou-vos mostrar o que podem fazer num dia em Cascais.

Museu Condes de Castro Guimarães

Como chegar

Na verdade, a ideia inicial era a de irmos de comboio, pois só de pensar em levar o carro, e não ter onde estacionar tira-me do sério. Então, à ultima da hora optámos por ir de carro.

Para chegar a cascais de carro, podemos ir via autoestrada A5, ou percorrer a marginal N6, junto ao rio. E assim fizemos. Como o Rudi não conhecia ainda esta zona, fomos devagarinho pela avenida marginal, desde Algés até ao centro de Cascais.

A N6 é um pouco mais lenta que a A5 mas vale bastante a pena se formos com tempo.

Já em cascais, muito perto do Museu – Casa das Histórias Paula Rego, encontrei estacionamento local sem pagar ao domingo. Foi uma sorte, porque a maioria dos lugares são pagos com parquímetro todos os dias da semana!

Visitar Cascais

Quando chegámos ponderámos alugar bicicleta, mas não o fizemos. Achámos que iríamos ficar na praia por mais tempo, então não alugamos. Mas é possível fazê-lo por um dia ou apenas por algumas horas. Diria que é uma forma gira de explorar a zona de Cascais.

bikes em cascais

Praia de Santa Marta

A primeira paragem foi na Praia Sta Marta. Estava imenso calor e queria apanhar um pouco de sol, então parámos por aqui por uma hora, uma vez que o mar faz aqui uma baía e é possível nadar. No entanto, depois soube que não é uma praia própria para ir a banhos! E ainda bem que pouco ou nada me meti na água!

Toda esta zona da linha de Cascais está identificada

Praia e Farol de Santa Marta

Aqui podemos ver o Farol de Santa Marta, que é possivel visitar. É actualmente um Museu e é possível subir ao topo, e ainda mantém as suas funções como farol de aviso às embarcações que por ali passam.

Como a praia não era de todo confortável, e muito pouco limpa o que foi uma valente decepção, decidimos ir almoçar.

Trouxemos almoço de casa, então fizemos um pequeno pic-nic no Parque Marechal Carmona, mesmo ao lado da praia e um local super agradável para fazer pic-nic. Este parque tem mesmo uma área especifica, com mesas, mas estava cheio, pelo que acabámos por ficar em um dos muitos recantos.

Parque Marechal Carmona

Sentámo-nos nesta zona a fazer o nosso pic-nic

Boca do Inferno 

Mesmo com imenso calor, decidimos ir até à Boca do Inferno (claro que o Rudi não queria ir, mas obriguei-o!). Ainda andámos cerca de 1 km deste a Praia de Santa Marta até à Boca do Inferno.

Esta formação rochosa tem este nome devido à força com que as ondas batem nas rochas, formando uma espécie de gruta. No verão, o mar na zona por norma encontra-se mais calmo, mas quem procura ver a fúria das águas em acção, terá que ser no Inverno.

Cidadela de Cascais

Em direcção à Baía de Cascais, é possivel ver do lado direito a Fortaleza da Nossa Senhora da Luz, um antigo retiro real onde hoje se pode encontrar o Hotel Pestana Cidadela de Cascais.

Baía de Cascais

Deixámos para o fim a Baía de Cascais. Depois de termos feito a Boca do Inferno e de termos espreitado a Cidadela de Cascais, descemos até à Baía, onde fomos até à Praia da Ribeira. Esta praia é também conhecida pela Praia dos Pescadores ou Praia do Peixe, uma vez que é ali que é descarregado o pescado. Aliás em baixo onde me encontro, está um enorme cais cheio de pescadores de volta do peixe.

Na verdade, e embora esteja muita gente na praia, não é das praias mais indicadas para uso balnear.

Baía de Cascais, com vista para a Praia da Ribeira

Quando descemos, o objectivo era descansar um bocado, e aproveitar o resto do dia na praia…mas esqueci-me da tolha de praia! Acabámos por ir andar pelo centro, e fomos comer um gelado sentadinhos voltados para a praia.

Já estávamos bastante cansados que nem nos importámos não ter a toalha de praia. Ficamos só ali em frente à praia a apreciar o movimento.

Depois de descansarmos e aproveitarmos o final da tarde, decidimos que era hora de regressar. Como íamos com tempo, fomos de novo pela marginal.

Casa das Histórias de Paula Rêgo

Mas antes de chegarmos ao carro passámos de novo pela Casa das Historias de Paula Rêgo, e apesar de não termos visitado o Museu ainda tirámos umas fotos nos jardins.

Este Museu é dedicado a Paula Rêgo, e homenageia toda a sua obra do seu marido.

Cascais, a Riviera Portuguesa, é sempre um bom plano para o fim de semana, a zona centro faz-se bastante bem a pé, e é muito fotogénica. Uma óptima sugestão para um dia de tour, mesmo ao lado de Lisboa!

Entretanto já sabem que podem acompanhar-me pelo Instagram ou pelo Facebook.

_________________________________________________________

Este artigo contém links de afiliados. Se comprares através dos meus links não terás nenhum custo adicional e ajudas-me a manter este blog ativo 🙂

_______________________________________________________

GOSTASTE DESTE ARTIGO? GUARDA-O NO PINTEREST!

pinterest cascais 1

 

pinterest cascais 2

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Translate »