Centro de Lombok: a Cidade de Praya!

No rescaldo do sismo (e já com outro de igual intensidade ter acontecido), e ainda com a impossibilidade e incerteza de quando voltamos para Gili Trawangan, temos ficado na cidade de Praya, no Centro de Lombok. Praya, Cidade de onde o meu namorado Rudi é natural. Tal como Sul de Lombok, o Centro de Lombok é zona segura face a estes últimos acontecimentos em Lombok no que concerne a sismos e replicas.

Já tinha vindo algumas vezes para o dia, mas nunca tinha passado tanto tempo por cá. O sismo “obrigou-nos” a ficar por aqui mais tempo do que o que esperávamos e a imersão cultural tem sido brutal.

Não é comum verem-se por aqui muitos turistas, e os que se vêem apenas estão de passagem e os que escolhem pernoitar, é porque têm voo no dia seguinte.

A Cidade de Praya é bem diferente de Mataram ( a “capital” de Lombok), mais limpa, mais organizada, menos barulhenta e aparentemente, menos poluída.

Vou falar-vos mais em detalhe do que por aqui ando a fazer e o que tenho visto por esta cidade e arredores.

Onde Ficar:

Optámos ficar em Praya, por ser uma zona central, num homestay chamado Penginapan Artha. O preço por noite pareceu-nos razoável (125k/noite), e as instalações também são boas. Limpo e amplo.

Nas primeiras noites ainda dormimos fora do quarto não fosse haver mais alguma “surpresa” e a terra tremesse…(e o curioso é que quando estava a preparar este post, a terra voltou a tremer mesmo…e à seria!)

Temos restaurantes aqui a volta, e o centro de Praya também. Para nos deslocarmos precisamos de uma mota (o Homestay não oferece esse serviço, pelo menos que me tenha apercebido)

Até ao momento em que escrevo este post já vamos ficar a 14ª noite.

20180808_164249-01-min

Foto do Exterior do Homestay

20180819_174113-01-min

Exterior do Homestay em Praya

Onde Comer:

  • Restaurante Puri Boga

Andávamos já para experimentar este restaurante, que de fora tinha muito bom aspecto. Fomos de dia, mas à noite apresenta um ambiente mais romântico.

Pedimos um menu para os dois (que na verdade era para quatro ou cinco pessoas!) por 190k (~ 11€). Um verdadeiro banquete, e o espaço espectacular. Fica perto do nosso homestay e do centro da cidade.

20180818_152246-01-min

Sala Principal do Restaurante

20180818_140332-01-min

O nosso banquete por 190k (~11€)

20180818_150945-01-min

Ainda aproveitámos para relaxar neste baloiço

20180818_151931-01-min

Todas as cabaninhas são mesas “privadas”

20180818_152220-01-min

No andar de cima também havia lugares

  • Street Food

Na zona central da cidade, ao final do dia o que não faltam é roulottes e comida de rua. Encontramos Sate (espetadas de frango ou de vaca), hamburgers, meat balls (uma espécie de almôndegas), arroz, batata frita, etc.

E o melhor disto tudo, é que fazemos um verdadeiro banquete por menos de 5€!

20180811_192849-01-min

Sate (as espetadas de carne de frago ou carne de vaca)

20180811_194904-01-min

Onde costumo ir buscar os Hamburguers

20180811_194653-01-min

Preços super baratos (~0,60€ / 1€)

20180811_200212-01-min

O nosso “banquete” por menos de 5€!

  • Warungs locais: Bakso Solo

Dos restaurantes locais destaco este, mesmo em frente ao nosso hotel. E que viciada ando eu nesta sopa que aqui servem! Basicamente é um caldo, com cebola, e carne de frango tipo salsichas. Uma delas tem ovo no meio. 

20180819_174055-01-min

Este Warung fica mesmo em frente ao nosso Homestay (reparem nas meninas na porta…Vieram cá para fora quando me viram a tirar foto! 🙂 )

20180818_195245-01-min

Versão da Sopa 1: a minha favorita

20180816_153834-01-min

Versão da Sopa 2: com Bihun

20180814_204609-01-min

Versão da Sopa 3: com vegetais! E ao lado Nasi Goreng (um dos pratos típicos da Indonésia)

O Aeroporto Internacional de Lombok

A Cidade de Praya acolhe o Aeroporto Internacional de Lombok, que continua a crescer e a ter cada vez mais conexões. Por exemplo, daqui já se voa directo para Kuala Lumpur na Malásia e para Singapura. E espera-se que futuramente possa voar directamente para mais países. Muitos outros destinos são com escalas em Bali ou Jakarta por exemplo.

Os voos entre Lombok – Bali também são uma opção muito usada pelos turistas. São relativamente rápidos (cerca de 30/40 minutos se não me falha a memória) e uma óptima opção para quem quer “fugir” às, por vezes, longas esperas nos barcos.

O aeroporto é novo e não é muito grande, e menos atolado de gente do que em Bali.

A Mesquita de Praya: a Masjid Agung Praya

No centro da cidade de Praya existe uma mesquita, a Masjid Agung Praya, que considero que seja um ponto a visitar. Não cheguei a entrar pois nas duas vezes que aqui estive era hora de oração e não deu para visitar.

Nesta ultima vez que estive, encontrei um grupo de Miúdas que acabei por me sentar com elas por uns momentos e tirar muitas fotos. É comum isto acontecer por Lombok, há vilas e zonas que nunca passam turistas, ou se os vêem é mesmo só de passagem. E quanto têm oportunidade de se aproximar de alguém de forma, isto vira um acontecimento e uma sessão de fotos acontece!

DSC05354-01-min

Masjid Agung Praya ao final do dia

DSC05357-01-min

O grupo de meninas que depois quiseram tirar fotos comigo

DSC05376-01-min

Masjid Agung Praya

DSC05378-01-min

E começou a sessão de fotos

DSC05379-01-min

Agora com toda a gente!

DSC05387-01-min

E as selfies seguem!

A Vila de Bunsalak em Praya

20180812_173052-01-min.jpeg

A casa do Rudi no meio dos arrozais

Sendo esta a Vila onde cresceu o Rudi, temos passado aqui muito tempo. Tenho aprendido como vivem os locais, bem como num espaço de 2 ou 3 assisti a dois casamentos. Vi também como fazem a colheita do arroz!

Engraçado ver que a população aqui é auto-sustentável. Não passam fome. Há arroz, vegetais, gado, peixe. Tudo o que precisam a terra dá. Vem directamente do campo para a mesa (bom, mas eles não usam mesa, a mesa é mesmo o chão!). São vidas simples, sem luxos, vidas do campo, talvez um Portugal de há 50 anos atras! O banho é de agua fria, muitas vezes fora de casa, e o dormir é no chão!

20180811_112448-01-01.jpeg

Refeição simples servida no chão. É assim pelas casas locais na Indonésia.

Casamentos Locais

Nestes dias, assisti a dois casamentos na vila do Rudi. O verdadeiro acontecimento na vila. Toda a gente corre para a rua para ver e participar. Os noivos depois da breve cerimónia religiosa fazem uma espécie de procissão pela vila, onde não falta musica e animação!

Fotos do Casamento 1:

DSC05227-01-min

A Banda já despois do desfile

DSC05231-01-min

Toda a gente da Vila sai à rua para ver a Banda e os Noivos

20180809_155552-01-min

Os Noivos típicos de Lombok

DSC05243-01-min

Eu com os Noivos…e com um outfit completamente desapropriado 🙂

Fotos do Casamento 2:

DSC05289-01-min

Ainda apanhámos a banda (e os noivos) em desfile, em mais um Casamento na Vila do Rudi

DSC05292-01-min

Vestidos a rigor tocavam e dançavam as musicas tradicionais de Lombok

20180812_170211-01-min

O desfile onde vai o noivo e a noiva

DSC05306-01-min

A noiva à frente e o noivo atrás

DSC05309-01-min

A noiva com os trajes típicos de Lombok

Colheita do Arroz

Muito interessante ver a colheita do arroz. Já aparecemos numa “fase final”, visto que já tinham feito a colheita, mas ainda assim foi giro de ver…e aprender!

Depois de plantado o arroz fica cerca de 3 meses até “estar pronto” para ser colhido. Quando finalmente os campos apresentam uma cor dourada, esta pronto. Então aí, é feita a colheita. Depois de retirarem todo os arroz do campo, este é sacudido para que os pequenos bagos se soltem da própria planta. Depois, fica a secar durante dois dias, até os pequenos bagos brancos de arroz se soltarem … e voilá temos arroz !

DSC05259-01

Casa do Rudi ao fundo, e eu nos campos de arroz num contraste de cores!

DSC05274-01

Happy Kids…what else?

DSC05275-01

Agricultores na apanha do arroz ao final do dia

20180809_175746-01

A foto do chapéu típico usado nos campos de arroz

20180809_180349-01

Arroz acabado de ser colhido e que ainda vai para secar dois dias até se poderem tirar os bagos brancos de arroz

20180809_180341-01

Maquina para separar o arroz das folhas que “não interessam”. Quando cheguei já o tinham feito.

Gerak Jalan

Alunos de escolas desfilam pelas ruas por altura de comemorações da Independência da Indonésia que ocorre a dia 17 de Agosto. É também uma espécie de competição entre escolas. É a confusão total. Durante 2 ou 3 dias fazem esta marcha de comemoração, em que se podem ver diferentes fardas e anos escolares. No meio, motas e carros entre desfiles!

20180816_161255(0)-01

20180816_161242-01

A confusão total entre carros, motas e marchas

20180816_161454-01

Meninas em comemoração no dia da Independência da Indonésia

20180816_161407-02

Marcha no dia da Comemoração da Independência

20180816_160531-01

20180816_161631-01

Estas meninas não parecem muito animadas 🙂 Com a confusão que estava compreendo!

20180817_150110-01

Arredores de Praya: a Vila de Kidiri

Fomos visitar um amigo do Rudi, que trabalhava numa lavandaria em Gili, a uma pequena aldeia nos arredores de Praya, em Kiri. Chegados lá, tornei-me uma espécie de celebridade, pois nunca há turistas por lá. E confesso-vos que saí de lá com um belo “murro no estômago”, de tão pobres que são… mas olhem os sorrisos destas crianças:

20180816_174448-01

Desejosos para tirar fotos! Sempre a falarem e meterem-se comigo. Estavam super curiosos

20180816_174533-01

Como se fosse uma celebridade…só que não! Nunca há turistas na vila deles!

IMG-20180819-WA0008-01

As filhas do amigo do Rudi e a casa dele! Que aperto no coração!

Não tirei muitas fotos da vila, mas se espreitarem no meu instagram ainda conseguem ver stories da minha tarde por lá!

Este post foi mais longo do que o normal, e sobretudo muito ilustrativo, mas acho também interessante mostrar-vos um pouco da cultura local e não só pontos turísticos. Quando viajamos para estes países normalmente vemos só o lado bom, muitas vezes nem chegamos a ver a realidade em que vivem as pessoas… não é verdade?

Entretanto, já sabem que me podem acompanhar aqui no meu instagram.

Boas Viagens ❤️

_______________________________________________________________________________

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Translate »