Uma semana em Jakarta

Jakarta não é uma cidade que faça parte da bucketlist de muita gente, aliás na verdade, não deve fazer parte da bucketlist de ninguém. Não é que haja alguma coisa contra a cidade, mas com tanto mundo para ver, penso que outras cidades sejam prioritárias na lista de cidades a visitar. Pelo menos na minha lista não era uma cidade prioritária, nem que fizesse parte do meu imaginário.

Mas então, porquê é que andei por lá uma semana?

Era suposto que a nossa passagem pela cidade fosse apenas de 2 ou 3 dias. Precisámos de ir à Embaixada de Portugal (não há nenhuma em Bali), e foi esse o verdadeiro motivo que nos levou lá. Acabámos por ficar uma semana e decidimos dar uma oportunidade à cidade!

Embaixada de Portugal em Jakarta

A questão é que nessa mesma semana se conjugaram vários assuntos para dar seguimento: havia o Concerto de Guns N’ Roses e levava também outro objectivo, que seria fazer umas malinhas para a minha loja já em preparação para o verão. E mais, ainda ponderámos não ir! Tinha havido o acidente com a Lion Air há uns dias e estávamos com algum receio. Mas fomos. Partimos de Lombok para Jakarta e regressámos via Bali onde ficámos uns dias.

Fomos com algum medo na Lion Air, mas correu tudo bem!

Posso dizer que o meu primeiro impacto da cidade não foi nada bom. É uma cidade assim como a imaginamos: cheia de transito, barulho, e muita poluição. Para terem uma noção, chegámos a um domingo, na segunda-feira fomos à embaixada e na terça-feira já me queria vir embora.

No entanto, seria só parvo, estar numa cidade como Jakarta, e não visitar nadinha e nem aproveitar a experiência de Guns N’ Roses. Então, decidimos ficar, e ficámos até sábado seguinte. Domingo a Sábado. O concerto foi numa quinta-feira. Portanto, tempo foi o que não nos faltou para visitar a cidade.

E ainda bem, pois o calor (e humidade) é de tal forma, que a cidade e os nossos afazeres foram-se fazendo aos poucos. E ainda apanhamos também chuva pelo meio.

Breve descrição de Jakarta

Jakarta fica localizada na Ilha de Java, e é onde concentra o principal centro de negócios da Indonésia, pois é onde se localiza a maior parte das empresas. É das maiores cidades do mundo (vi algures que é a segunda maior (e populosa) cidade do mundo, mas sem poder afirmar que esta correcto), tendo cerca de 10 milhões de habitantes (imaginem a população do nosso humilde Portugal todo concentrado numa só cidade. é de loucos não é verdade?).

Como já referi, é uma cidade atolada de gente, caótica, muito poluída e com um calor (humidade) infernal.

O que há para ver em Jakarta?

Quando cheguei à cidade, não tinha lista de sítios para ver e desconhecia as principais atracções da cidade. Com alguma pesquisa, descobri que ainda há bastantes coisas para ver, e até interessantes, mas um dia não é suficiente para ver o principal. A locomoção na cidade não é das melhores. Há transportes, mas as distâncias e o transito são tão grandes que demoramos imenso tempo a chegar onde precisamos. O calor também não ajuda, alias calor misturado com a poluição e humidade, não são combinações aliciantes para visitas turísticas, mas em nenhum lado (passei pelo mesmo já varias vezes em Kuala Lumpur na Malasia e tambem em Singapura, ambos com niveis de humidade e calor nada agradáveis!).

Quem tiver tempo para aproveitar melhor a cidade dois ou três dias é o ideal!

Na zona centro, ainda nos deslocamos de Tuk-Tuk que por momentos, parecia que estava numa cidade da Índia e não na Indonésia! Muito engraçado.

Monumento Nacional Monas | Merdeka Square

A principal atracção da cidade é o Monumento Nacional Monas, um obelisco localizado em Merdeka Square (Praça da Liberdade). Este Monumento representa o símbolo de Independência do país face aos Holandeses a 17 de Agosto de 1945.

A construção do Monas começou em 1961 pelo Presidente Sukarno, mas foi concluída em 1975 pelo segundo presidente, o Suharto.

O Monumento Nacional é em forma de obelisco, revestido a mármore italiano, e tem 132 metros de altura. A chama, na parte superior, mede 6 metros de diâmetro e é feita de bronze, pesa 14,5 toneladas, sendo revestida com 35 kg de ouro! O Monas é um símbolo e memorial duradouro do movimento de independência da Indonésia. 

Na sua base, o Monas abriga um Museu sobre a História da Indonésia e um Espaço de Meditação. É também exibida a Declaração de Independência Indonésia (não sei se a original se uma cópia), lida por Sukarno sobre a emancipação do país dos holandeses. No topo do Monas, existe um observatório 360º da cidade de Jakarta (nós optamos por não ir devido ao tempo super nublado nesse dia).

À noite o Monumento fica todo iluminado.

À volta do Monas fica um enorme jardim onde é possível alugar bicicleta por 1hora…grátis! Claro que aproveitamos e adorámos. Por momentos esqueci que estava em Jakarta, e acho que foi neste momento que comecei a gostar de Jakarta e a achar que a cidade tinha mais para dar e ver! Não me enganei.

Fora do Jardim, na zona circundante e ao lado, é possível ver também Edifícios importantes: o Merdeka Palace, o Museu Nacional da Indonésia, a Catedral e Mesquita de Jakarta, o Supremo Tribunal (e outros Ministérios importantes). Esta praça é o centro…do centro!

Horário: 8h-16h (FECHA NAS SEGUNDAS-FEIRAS. Nós tivemos o azar de ir na segunda-feira, voltamos depois na terça!). Tem horário de visita noturno também.

Entrada no Jardim Grátis. Bicicletas Grátis por 1 hora. 

Visita ao Monas (e observatório): Entrada paga.

Museu Nacional da Indonésia

Outra das paragens no nosso roteiro em Jakarta, foi uma visita ao Museu Nacional da Indonésia, popularmente conhecido como Gedung Gajah ou Elephant Building Museum, devido a uma estátua de um elefante no pátio da entrada. Sendo que estávamos na Capital, porque não visitar um Museu que compilasse as principais colecções e relíquias do país. Neste museu estão presentes os mais variados objectos de arqueologia, etnografia, geografia, entre outras objectos de importância histórica. O museu é dividido em duas parte: a Ala Nova (Gedung Arca) e a Ala Antiga (Gedung Gajah). O Edifício tem quatro andares (este ultimo acessível de elevador) e é um dos melhores e mais completos Museus da Indonésia. A entrada é super barata e contem ainda com pelo menos uma hora por lá para verem tudo. Gostei imenso do Museu. 

Horário: 8h – 16h (FECHA NAS SEGUNDAS-FEIRAS). Ao sábado e domingo é das 8h-17h.

Entrada paga: 5 mil Rúpias (cerca de 0,30€).

Deixo-vos com fotos do Museu para terem uma ideia:

Fatahillah Square | Old Town

Quando saímos de Merdeka Square (depois de visitarmos o Monumento Monas e também o Museu Nacional), apanhámos um Tuk-Tuk que nos levou até  à praça de Fatahillah Square / Old Town onde terminámos o nosso dia de visitas. Toda a viagem de tuk-tuk foi hilariante. Primeiro porque a meio do caminho quase que avariou e depois porque andar de tuk-tuk nestas cidades asiáticas é sempre uma experiência muito gira. Deu-nos também a possibilidade de passar por alguns recantos da cidade que doutra forma não conseguiríamos ver.

Foi, como se diz, a “cereja no topo do bolo”. Esta zona é o Centro Histórico de Jakarta e dá-nos imediatamente uma sensação de estarmos noutra cidade e noutro tempo. Aqui encontramos edifícios da época colonial holandesa e ainda muitos museus, como o Museu de História de Jakarta.

Nesta praça é possível alugar umas bicicletas coloridas por 20 mil rúpias (cerca de 1,2€), 30 minutos, e dar a voltinha pela praça e arredores.

Para final de dia tínhamos pensado visitar um Rooftp Bar, mas devido à neblina que estava na cidade, achamos que iríamos gastar dinheiro e não teríamos grande aproveitamento. Então, tendo terminado a nossa visita nesta praça decidimos ficar num dos Bares mais antigos da cidade e da Indonésia, o CAFÉ BATAVIA! A decoração, o detalhe, o ambiente, é tudo lindo e foi uma excelente opção pararmos por lá! Esquecemos completamente que estamos em Jakarta! Até perdi o numero de horas que lá estivemos. Não é barato para os standards indonésios que estou habituada, mas vale a pena parar e beber uma bebida no bar e fazer uma viagem no tempo! A maioria do que encontramos no interior ainda é preservada desde a época colonial. É possível jantar ou então apenas parar e beber um dos inúmeros cocktails ou outra bebida que apeteça na altura.

Deixo-vos algumas fotos para viajarem no tempo connosco:

Centros Comerciais em Jakarta

Não podíamos dar como terminada a nossa visita à cidade sem espreitar um dos inúmeros centros comerciais. Não era uma visita prioritária, e só optámos por ir porque tivemos tempo para o fazer num dos dias que estivemos em Jakarta. A cidade têm tanta gente e também tanto calor e humidade que um dos pontos de encontro e de interesse são também os centros comerciais! É uma excelente forma de nos refrescarmos e fugirmos à agitação imparável da cidade. Não consegui visitar o maior de Jakarta (o Grand Mall of Indonesia), mas num dos dias tive a oportunidade de ver um dos centros comerciais, mais nos arredores da cidade, e essencialmente frequentado por locais. Acabei por sair de lá com umas sandálias e um telemóvel (que por sinal, compensou mesmo muitooo!)… Como troquei de telefone, não tirei grandes fotos no centro comercial para vos mostrar.

Como em todas as cidades, por mais tempo que lá passemos, há sempre coisas que deixamos por ver. E o que gostaria de ter visitado a Catedral de Jakarta e a Mesquita Istiqlal (a maior do Sudeste Asiático). São dois edifícios imponentes (pelo que vi nas fotos) e que foram construidos ao pé um do outro, pelo Presidente Sukarno, que insistiu que a mesquita nacional da Indonésia deveria ser construída perto de Catedral de Jakarta, para simbolizar a tolerância e harmonia religiosa, como promovida pela Pancasila (a filosofia nacional da Indonésia e os cinco princípios que constituem a base filosófica de nacionalidade indonésia).

Quando cheguei a Jakarta ía completamente com as minhas expectativas em baixo, não sabia de rigorosamente nada do que visitar na cidade, e se sequer tinha o que visitar (!), e confesso que saí de lá surpreendida pela positiva. Jakarta não é, efectivamente, uma cidade-prioridade nas nossas listas de destinos, mas se houver possibilidade de visitar alguma coisa, e passar por lá um ou dois dias…porque não? Sempre damos uma oportunidade e vemos mais coisas que não sabíamos que existiam.

As pessoas são simpáticas e com ar muito curioso. Talvez por não ser uma cidade muito turística

Publiquei no meu instagram a minha passagem por Jakarta, quem não acompanhou, e quiser ver mais sobre a Indonésia e as minhas viagens poderá faze-lo por aqui.

Boas Viagens 🙂

___________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________

GOSTASTE DESTE ARTIGO? GUARDA-O NO PINTEREST!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Translate »